Da terra à lua.  Julio Verne
Capítulo 13. Stone's-Hill
< Назад  |  Дальше >
Шрифт: 

Desde que se tornára notoria a escolha feita pelos socios do Gun-Club em prejuizo do Texas, toda a gente na America, onde tudo sabe ler, se julgou obrigada a estudar a geographia da Florida. Nunca os livreiros venderam tanto exemplar de Bartram's travel in Florida, do Romans's natural history of East and West Florida, do William's territory of Florida, do Cleland on the culture of the Sugar-Cane in East Florida, etc. Tornou-se necessaria a impressão de novas edições. Era um verdadeiro delirio.

Barbicane não era homem que se contentasse com leituras, queria ver as cousas com os proprios olhos e escolher em pessoa a collocação da Columbiada. Por consequencia, sem perda de um momento, poz á disposição do observatorio de Cambridge os fundos necessarios para a construcção de um telescopio, contratou com a casa Broadwill & C.a de Albany a feitura do projectil de aluminium, e partiu logo de Baltimore acompanhado por J.-T. Maston, pelo major Elphiston e pelo director da fabrica de Goldspring.

No dia seguinte chegavam os quatro companheiros de jornada á Nova Orleans, onde embarcaram sem demora no Tampico, aviso da marinha federal, que o governo puzera á disposição d'elles. Aquecidas as fornalhas, em poucos momentos deixaram de enxergar as praias da Luiziania.

Não foi comprida a viagem; dois dias depois da partida, e tendo percorrido quatrocentas e oitenta milhas, chegou o Tampico á vista da costa da Florida.

Ao passo que o navio se approximava da costa, ía apparecendo aos olhos de Barbicane um territorio baixo, chato, com apparencias de pouca fertilidade.

Depois de costear uma serie de enseadas abundantes em ostras e lagostas, entrou finalmente o Tampico na bahia do Espirito Santo.

Divide-se esta bahia em duas barras estreitas e compridas, a de Tampa e a de Hillisboro, cuja apertada embocadura o steamer passou em poucos momentos. Pouco tempo depois já se destacavam por cima das ondas as baterias rasantes do forte Brooke, e apparecia a cidade de Tampa negligentemente recostada no fundo do pequeno porto natural formado pela foz do rio Hillisboro.

N'este logar fundeou o Tampico, a 22 de outubro, pelas sete horas da noite; os quatro passageiros desembarcaram immediatamente.

Barbicane sentiu que lhe palpitava com violencia o coração quando pisou o solo da Florida. Parecia palpa-lo com os pés, como faz o architecto que pretende experimentar a segurança de um edificio. J.-T. Maston, esse excavava a terra com a ponta do gancho.

«Senhores, disse então Barbicane, não temos tempo a perder, já ámanhã havemos de montar a cavallo para fazer um primeiro reconhecimento no paiz.»

No momento em que Barbicane desembarcava, os tres mil habitantes de Tampa-Town, tinham avançado a saír-lhe ao encontro, honra bem cabida no presidente do Gun-Club, que os favorecêra na escolha por elle indicada. Receberam-no com formidaveis acclamações, mas Barbicane escapou-se a todas aquellas ovações, e conseguiu metter-se n'um quarto do hotel Franklin, onde não quiz receber pessoa alguma. Decididamente não lhe quadrava o papel de homem celebre.

No dia seguinte, 23 de outubro, já lhe curveteavam debaixo das janellas uns pequenos cavallos de raça hespanhola, todos fogo e vigor. Mas não eram quatro senão cincoenta, com outros tantos cavalleiros.

Barbicane desceu acompanhado pelos tres companheiros, e admirou-se a principio de se achar rodeado de tão numerosa cavalgata. Tambem fez reparo em que cada cavalleiro trazia a sua carabina a tiracolo e pistolas nos coldres. Mas foi logo informado por um moço floridense dos motivos de similhante apparato de força.

«Senhor, é por causa dos seminólas.

--Quaes seminólas?

--Os selvagens que percorrem a planicie; foi por isso que julgámos prudente escoltar-vos.

--Ora qual! interrompeu J.-T. Maston, conseguindo içar-se por escalada ao dorso do animal que lhe fôra destinado.

--Emfim, volveu o floridense, sempre é mais seguro.

--Meus senhores, respondeu Barbicane, agradeço-vos as vossas attenções, e agora a caminho!

E o pequeno rancho abalou logo, desapparecendo no meio de nuvens de poeira. Eram cinco da manhã, o sol já estava resplandecente e o thermometro marcava 84°; entretanto as frescas virações do mar moderavam a ardencia excessiva da temperatura.

Barbicane logoque saíu de Tampa-Town inclinou para o sul, seguindo a costa com o fim de alcançar o creek de Alifia, que é um arroio que vae desaguar na bahia de Hillisboro, doze milhas abaixo de Tampa-Town. Continuaram Barbicane e companheiros seguindo a margem direita, subindo para leste.

Dentro em pouco foram-se escondendo por detrás de um accidente do terreno as aguas da bahia, e não viram os viajantes senão campinas da Florida.

A Florida póde dividir-se em duas partes: uma ao norte, mais abundante em população, menos abandonada, tem por capital Tallashassêa e possue Pensacola, um dos mais importantes arsenaes maritimos dos Estados Unidos; a outra, encerrada entre a America e o golpho do Mexico, que a estreitam entre suas aguas, é apenas uma delgada peninsula corroida pela corrente do Gulf-Stream, lingua de terra como que perdida por entre as ilhas de um pequeno archipelago, e que incessantemente dobram os numerosos navios que buscam o canal de Bahama. É como que um posto avançado do golpho das grandes tempestades.

A superficie da Florida é de trinta e oito milhões e trinta e tres mil duzentos e sessenta e sete acres, dentro dos quaes se devia escolher um situado para áquem do vigesimo oitavo parallelo, e em condições convenientes para a tentativa; por isso Barbicane, ao passo que cavalgava, ía examinando com attenção a configuração e a particular distribuição do solo.

A Florida, descoberta por Juan Ponce de Leon em 1512, no domingo de Ramos, deveu a esta circumstancia seu primeiro nome de Paschoa-Florida, encantadora denominação bem mal cabida n'aquellas costas aridas e abrazadas.

Mas a algumas milhas da praia, ía pouco e pouco mudando a natureza do terreno, e o paiz mostrando-se digno do nome primitivo; o solo era cortado por uma rede de creeks, de rios, de ribeiros, de lagoas e de pequenos lagos; mas logo a campina começou a elevar-se sensivelmente, e dentro em pouco deixou ver plainos onde se davam admiravelmente todas as producções vegetaes do norte e do meio dia, campos immensos, onde todas as despezas e trabalhos da cultura são feitos pelo sol dos tropicos e pelas aguas retidas no subsolo de argilla, e finalmente prados de ananazes, de inhames, de tabaco, de arroz, de algodão, de canna de assucar, que se estendiam a perder de vista, ostentando com descuidosa prodigalidade immensas riquezas.

Barbicane mostrou-se muito satisfeito quando verificou que o terreno se ía elevando progressivamente, e como J.-T. Maston o interrogasse a tal respeito:

--Meu digno amigo, respondeu, temos interesse de primeira ordem em fundir a Columbiada em terreno alto.

--Para estar mais perto da Lua? exclamou o secretario do Gun-Club.

--Não, respondeu Barbicane sorrindo-se; que valem algumas poucas toezas de mais ou de menos? Não é por isso, mas porque no centro de terrenos elevados hão de proseguir com maior facilidade os nossos trabalhos: não teremos de lutar com as aguas, circumstancia que nos ha de poupar tubagens compridas e caras, o que é objecto de vulto quando se trata de abrir um fosso de novecentos pés de profundidade.

--Tendes rasão, disse então o engenheiro Murchison, devemos afastar-nos quanto possivel dos lençoes de agua na direcção da brocagem; entretanto se encontrarmos nascentes, não é mal sem remedio, ou havemos de esgota-las com machinas, ou desvia-las. É caso diverso dos poços artesianos, estreitos e escuros, onde verruma, cubo e sonda, toda a ferramenta do perfurador, em summa, trabalha ás escuras. Aqui não. Havemos de trabalhar com o céu á vista, á luz do dia, com o alvião e picareta em punho; e com o auxilio de algumas minas, a tarefa ha de ir andando com rapidez.

--Todavia, replicou Barbicane, se pela elevação do solo ou pela natureza do terreno podérmos evitar a luta com as aguas subterraneas, mais rapido e perfeito ha de ser o trabalho: tratemos pois de abrir fosso em terreno situado a algumas centenas de toezas acima do nivel do mar.

--Tem rasão, senhor Barbicane, e se me não engano, dentro em pouco havemos de achar sitio adequado.

--Ai! o que eu queria era ouvir já a primeira enxadada, disse o presidente.

--E eu a ultima! exclamou J.-T. Maston.

--Lá havemos de chegar, senhores, e acreditem que a companhia da fabrica Goldspring não ha de ter que pagar-lhe a multa por mora.

--Por Santa Barbara! que deveis ter rasão! replicou J.-T. Maston; cem dollars por dia até que a Lua volte a estar nas mesmas condições, isto é, durante dezoito annos e onze dias, vem a dar, como bem deveis saber, seiscentos e cincoenta e oito mil e cem dollars?

--Não, senhor, nem o sabemos, respondeu o engenheiro, nem havemos de ter necessidade de que no-lo façam saber.»

Por volta das dez horas da manhã; já o pequeno rancho tinha andado a sua duzia de milhas: ás campinas ferteis succedêra a região das florestas. Desenvolviam-se ali com profusão tropical as mais variadas essencias. Eram formadas aquellas quasi impenetraveis florestas de romeiras, laranjeiras, limoeiros, figueiras, oliveiras, damasqueiros, bananeiras, e grandes cepas de vinha, cujos fructos e flores rivalisavam em colorido e perfume. Á fragrante sombra d'aquellas magnificas arvores cantavam e esvoaçavam numerosissimas aves pintadas de brilhantes côres, entre as quaes se distinguiam mais particularmente as garças americanas, cujo ninho deveria ser um guarda-joias para ser digno d'aquellas preciosidades empennadas.

J.-T. Maston e o major não podiam ter diante de si tão opulenta natureza sem lhe admirar as esplendidas bellezas.

Mas o presidente Barbicane é que era pouco sensivel a tantas maravilhas, e estava com pressa de proseguir, porque região tão fertil por sua mesma fertilidade lhe desagradava. Não era hydroscopo, mas apesar d'isso presentia a agua debaixo dos pés, porque debalde procurava signaes de aridez incontestavel.

Entretanto íam avançando; tiveram de passar a vau alguns rios, e não sem perigo, que os caïmans de quinze a dezoito pés de comprimento abundam por aquelles logares. J.-T. Maston ameaçava-os atrevidamente com a temivel ganchorra, mas não conseguia atemorisar senão pelicanos, narsejas e phaetontes, selvagens habitantes d'aquellas margens. Té os grandes flamingos côr de rosa o olhavam com ar de estupidez.

Por fim aquelles habitantes das regiões humidas tambem foram desapparecendo; já as arvores, menos grossas, appareciam rareadas em matas menos espessas; alguns grupos isolados se destacavam nas infinitas planuras onde perpassavam em manadas os gamos assustados.

«Até que emfim! exclamou Barbicane, levantando-se nos estribos, chegámos á região dos pinheiros.

--Que é tambem a dos selvagens,» respondeu o major.

E viam-se na verdade no horisonte alguns seminólas; agitavam-se, corriam de uns para os outros nos rapidos corseis, brandindo compridas lanças ou descarregando as espingardas de detonação surda de que costumam usar. Tambem ficaram-se n'estas demonstrações de hostilidade, sem mais inquietar Barbicane e companheiros.

Estes estavam collocados no meio de um plaino pedregoso, local vasto e descoberto, de grande numero de acres de extensão, que o sol inundava com raios abrazadores. Era este plaino formado por uma grande entumescencia de terreno, que parecia offerecer aos socios do Gun-Club todas as condições requeridas para a collocação da Columbiada.

«Alto! disse Barbicane, parando. Este sitio tem nome cá no paiz?

--Chama-se Stone's Hill,» respondeu um dos da Florida.

Barbicane, sem dizer mais palavra, apeou-se, pegou dos instrumentos e começou a determinar a posição com grande precisão; o pequeno rancho reunido em volta d'elle olhava-o em profundo silencio.

N'aquelle momento passava o sol pelo meridiano. Barbicane, passados instantes, escreveu rapidamente o resultado da observação que fizera e disse:

«Este logar está situado a trezentas toezas acima do nivel do mar, a 27° 7' de latitude e a 5° 7' de longitude oeste; afigura-se-me que a sua natureza arida e penhascosa apresenta todas as condições favoraveis para a experiencia; será portanto n'esta planura que havemos de construir armazens, officinas, fornos, cabanas para operarios, e será d'aqui, d'aqui mesmo, repetiu batendo com o pé no vertice de Stone's-Hill, que o nosso projectil ha de alar-se para os espaços do mundo solar!»